Tuesday, October 24, 2006

Mapa cor-de-rosa e a Monarquia

O mapa Cor de Rosa representava o objectivo do Reino de Portugal de exercer a sua soberania sobre os teritórios sitos entre o que é hoje Angola (quase a sua totalidade) e Moçambique.

No entanto, esse território colidia com os interesses daGrã-Bretanha, o que conduziu ao ultimato britânico de 1890, a que o Portugal cedeu, causando sérios danos à imagem do governo monárquico português. Foi, claramente, algo a que as forças republicanas se agrarraam para descreditarem a Monarquia.

Não há dúvida que D. Carlos, ao ter cedido à exigência britânica, nos privou de uma página gloriosa na história. Um pequeno povo aguerrido ter-se-ia levantado bravamente contra a Grande Potência.

Naturalmente, que teríamos perdido a quase totalidade das posses africanas e, possivelmente, asiáticas. Teríamos ficado na bancarrota e com uns milhares de mortos e outros mais estropiados. Deveríamos ter feitos como aos Espanhóis que tão gloriosamente defrontarem os Americanos em Cuba para virem a perder as Filipinas. Assim, ficámos privados dessa tal página gloriosa.

É de referir a bravura republicana em que a letra do Hino terminava com "contra os Bretões, marchar, marchar". Mais tarde mudaram os "Bretões" para "Canhões". Teria sido brilhante a nossa infantaria contra os canhões (britânicos).

12 comments:

al cardoso said...

Teriamos sido um pais diferente e talvez nao tivesse com isso, havido oportunidade para os republicanos destronarem a monarquia. Mas como se nao pode voltar atras, temos que contentar-nos como somos.
Se tivessemos perdido a guerra em Africa com os ingleses nessa altura, nao teria havido necessidade de fazer a tal "descolonizacao exemplar" que causou um dos maiores sofrimentos portugueses do seculo XX.

João Moutinho said...

Pois é Cardoso, também me lembrei da dita "descolonização exemplar" e da absurda Guerra Ultramarina.
É verdade, a História não tem um tubo de ensaio em branco para compararmos como é que "seria se".
Em todo o caso o meu blog principal é "Paz Universal", onde está linkado o seu blog.

al cardoso said...

Bem haja nao sei se reparou que tambem ja linkei o seu.

Um abraco serrano de paz.

o alquimista said...

Obrigado Amigo é uma honra, ao seu voltarei com muito gosto...

Forte abraço

francis said...

Pois, esta questão terá lançado em Portugal o debate sobre o significado do conceito "amizade".
Obviamente, uma guerra entre os dois países teria sido uma luta entre david e Golias, como o seria hoje.
No entanto, se o corpo pode ser morto, a alma, essa é imortal.
Um abraço.

João Moutinho said...

Uma vez mais agradeçao as vossas visitas.
Mas relembro que o blog principal é "Paz Universal" onde estão os links para os vossos blogs.
Quanto à nossa alma, como dizia Fenando Pessoa "A minha Pátria é a minha língua". Sejamos realistas, dentro da Europa somos daqueles (ou aquele) com menor crise de identidade. E isto apesar de toda aquela conversa de que nos gostamos muio de subestimar.

Moura said...

Blog interessante! Cheguei aqui pela "mão" de al cardoso. Sou um homem das histórias e por isso este espaço agrada-me. Engraçado que num congresso que estive a semana passada alguém falava no fenómeno da globalização...iniciado pelos portugueses na epopeia dos descobrimentos. Como diz o outro..."Portugal deu novos mundos ao mundo"...andando "por mares nunca dantes navegados".
Um abraço

Tozé Franco said...

Obrigado pela visita.
Gostei do que li e vou tornar-me cliente habitual.
Um abraço.

João Moutinho said...

O que vale é que eu percebo disto à brava, quero trazer os blogs para a "Paz Universal" e linko tudo para aqui!

Bem vindos!!!

TSFM said...

Gostei do post. Vejo que entre os comentaristas é só amigos de outrso "blogs".

Barão da Tróia II said...

Foi mais uma brilhante página da nossa história.

MRelvas said...

Caro João Moutinho gosto do seu blog.Gostei muito deste post.

Convido-o a visitar o meu Arômas de Portugal http://aromasdeportugal.blogspot.com
Já visitou a vozdopovo,o que agradeço.Voltarei para comentar os posts dos animais acima inseridos com tempo,pois adoro animais!

Abraço
Mário relvas